Livres de golpes, nós nunca estaremos! Mas, saber identificar notas falsas, facilita na precaução. Então, vem conferir dicas de como reconhecê-las!

Publicidade
Evite cair em golpes! confira as principais dicas para reconhecer notas falsas

Publicidade

O dinheiro está sempre circulando no nosso dia a dia, e muitas vezes, não paramos para observar atentamente as notas que são entregues a nós. No entanto, algumas vezes somos surpreendidos com notas falsas que foram repassadas a nós em outro momento.

Sendo assim, é de extrema importância que você conheça as formas de identificação das notas, para que caso algum momento você se depare com essa situação, saiba identificar os aspectos que revelam uma nota falsa.

Para lhe instruir melhor, continue conosco e entenda todos os conceitos por trás desse método de defesa. Lembrando que isso é importante tanto para a pessoa que repassa a nota, quanto para o trabalhador que a recebe.

Como funciona a identificação de notas falsas?

Evite cair em golpes! confira as principais dicas para reconhecer notas falsas

Com a crescente digitalização da moeda, por conta dos bancos digitais e a popularização das transações online, cada vez menos as pessoas têm tido atenção com o seu dinheiro físico. Anos atrás, quando o mercado financeiro ainda não tinha passado por esse estágio, surgiram métodos de identificação de cada nota.

Essas características surgiram por conta dos crescentes índices de falsificação de notas e para combater isso, a Casa da Moeda desenvolveu pequenos detalhes que permitem que o usuário saiba notar se a nota é falsificada ou não.

Publicidade

A maior parte desses detalhes não são considerados na hora de se falsificar, e por isso, é bem nítido e simples o processo de identificação. Geralmente, existem duas formas de identificação: visual e na textura da cédula.

Como identificar as notas falsa a partir do elemento visual

O primeiro dos detalhes que mencionamos, são os que compõem o visual da nota. Os originais possuem um conjunto de elementos únicos, que somente são gravados nelas através das impressoras específicas da casa da moeda.

Publicidade

Essa diferenciação estética é muito fácil de ser notada, podendo inclusive, serem observadas a uma grande distância. Mesmo assim, é importante que você saiba identificar esses elementos para não passar por uma situação ruim.

Pegando uma nota original, no lado da face do real e não da parte animal, é possível ver alguns elementos. Na parte superior direita, desse lado da nota, há uma espécie de quebra-cabeça. Na mesma parte, agora mais centralizada, é possível ver uma marca d’água.

Na parte mais à direita da nota, caso você utilize luz ultravioleta, é possível visualizar uma marca de segurança. Já na parte inferior, mais ao centro, aparece o fio de segurança. Por fim, você pode visualizar o número escondido na parte esquerda da nota ao aproximá-la dos seus olhos.

No verso da nota, na parte onde apresenta o animal, também é possível identificar alguns elementos. Na parte superior, a direita, é possível notar um alto relevo perto da grafia do Banco Central.

No mesmo local, também é possível identificar um desenho com formas mais complexas. Um pouco mais abaixo e na parte superior à esquerda, é possível notar a numeração duplicada. No centro da nota também é possível ver micro impressões.

Por fim, na parte inferior à esquerda, é possível identificar um número escondido. Além disso, é possível identificar a nota através da textura.

Identificando a nota através da textura

As cédulas emitidas pela Casa da Moeda entre os anos de 1994 e 2010, possuem uma textura mais espessa. Junto a isso, na parte da figura da República, onde está escrito o Banco Central, é possível notar um alto relevo.

Em geral, é possível observar que a textura da nota muda na grafia do Banco Central, sobretudo nas notas de R$ 20, R$ 50, R$ 100 e R$ 200. Não perca mais tempo e verifique se suas notas são verdadeiras!

Leia também: Finanças são um dos principais motivos de estresse das famílias brasileiras: Entenda porquê!

Share