Governo avalia criar novo auxílio emergencial para amenizar a crise dos combustíveis

Leia o nosso texto abaixo para descobrir todas as informações sobre o governo criar novo auxílio emergencial para amenizar a crise dos combustíveis!

Se você vive no Brasil atualmente, com certeza deve estar apavorado com o aumento do preço dos combustíveis e isso vale até mesmo para quem não tem um automóvel, pois o aumento reflete também em outros insumos que consumimos diariamente.

Exatamente por conta disso que o Governo Federal está buscando alternativas de solucionar esse aumento exorbitante, dessa forma, a principal ideia é criar um auxílio emergencial que amenize a crise causada pelo aumento dos combustíveis. Mas, como exatamente isso iria funcionar?

Proposta de Emenda à Constituição

economia alta combustiveis 20180103 0001 copy 1024x683 1

A Proposta de Emenda à Constituição, mais conhecida como PEC, está sendo discutida pelos membros do Palácio do Planalto e a ideia é criar um auxílio combustível, voltado para os caminhoneiros, que são a categoria de base que faz o nosso país se movimentar.

Publicidade

O principal objetivo com a criação dessa PEC é viabilizar um recurso mensal aos caminhoneiros autônomos, contudo, parece que não será apenas um auxílio combustível, mas, sim, um novo auxílio emergencial, muito parecido com o que foi disponibilizado para a população entre os anos de 2020 e 2021.

A nova PEC será criada realmente de forma emergencial, em caráter temporário para os caminhoneiros autônomos e a expectativa é que quase um milhão de pessoas seja beneficiada pelo Governo Federal nessa nova leva. 

Como funcionaria esse novo auxílio emergencial?

Segundo as informações que foram repassadas, inicialmente a ideia é que esse novo auxílio emergencial seja pago durante um período de aproximadamente 6 meses, no valor de R$ 200 mensais. 

Esse auxílio emergencial seria somado ao Vale Gás, um programa já utilizado pelo Governo Federal e, ainda, um voucher específico para os caminhoneiros, como uma forma de incentivar o trabalho.

Para efetivá-lo, seria necessário fazer um investimento na margem de R$ 27 bilhões, embora o custo estimado para o repasse final seja de R$ 22 bilhões. O objetivo inicial, na realidade, era realizar uma redução do ICMS, mas segundo os governadores, a melhor alternativa no momento é desistir dos impostos e focar no financiamento do benefício.

Porque, especificamente, os caminhoneiros vão ser beneficiados?

Com o aumento do diesel, o valor do frete pago aos caminhoneiros autônomos acaba não compensando e, em alguns casos, trazendo até mais prejuízos para o trabalhador, o que, por consequência, faz com que muitos deles parem de trabalhar. 

Essa falta de trabalho, em ano de eleição, deixa os eleitores irritados e a categoria dos caminhoneiros é, até hoje, uma das maiores apoiadoras de Bolsonaro. 

Inicialmente cogitava-se realizar um repasse de R$ 1 mil por mês, mas depois da estimativa de que existem entre 650 mil a 900 mil caminhoneiros autônomos no Brasil, foi necessário mudar estes valores, tudo devidamente calculado pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes.

Apesar da grande resistência por parte da pasta econômica e, principalmente, de alguns parlamentares, existe ainda uma grande possibilidade de que este novo auxílio emergencial, voltado para os caminhoneiros, seja aprovado ainda no próximo mês, bastando apenas determinar o número de beneficiários para determinar o valor exato de repasse mensal.

Procurando cartão…